Anki, uma obsessão

Lá pelo final de 2009, começo de 2010, férias, foi um período em que usei muito o Anki no nível mais hardcore que além da leitura envolvia também a cópia das cartas à mão. O objetivo não era ficar bonito, era memorizar a sequência dos traços dos kanji e as própias cartas, claro. Em menos de uma semana, meu bloco de notas ficava mais ou menos assim:

WP_000452 WP_000437 WP_000438 WP_000439 WP_000441 WP_000442 WP_000443 WP_000444 WP_000445 WP_000446 WP_000447 WP_000448 WP_000450 WP_000451

Hoje já não tenho paciência e empenho para isso, mas foi muito útil, recomendo para quem está começando.

Anúncios

12 Respostas para “Anki, uma obsessão

    • Não sei de onde eu tirava forças para usar todo dia. Tenho uns decks ótimos, mas acho que entrei numa fase mais de aprofundamento do que de decorar por repetição.

  1. Olá Eduardo, primeiramente, parabéns pelo blog que, apesar do cunho pessoal, tem muita coisa bacana para os apaixonados pelo Japão!

    Bem, eu sempre quis aprender kanji, mais pelo admiração que tenho pelo povo japonês do que por qualquer outra coisa, não gosto de animes/mangás (vi que fez um post sobre eles), mas sou apaixonado pelos filmes japoneses (apesar de nunca conseguir guardar o nome dos títulos e diretores). Enfim, como um estudante de nível avançado (posso falar assim?) em kanji, poderia me recomendar algo ou alguma técnica além do anki? Estou completamente desorientado…

  2. Olá Eduardo. Excelente post. Também sou fã hardcore do Anki (neste exato momento estou estudando japonês).

    Seria possível você compartilhar os seus decks de japonês com os seus leitores? Estou usando os que peguei no site oficial. Mas, estou interessado em materiais diferentes.

    Se não for possível, não tem problema. Obrigado.

    • Então, eu não compartilho meus decks de anki. Não é por ser chato e querer monopolizar minhas cartas, mas porque acredito que o Anki só funciona com decks criados pelo próprio usuário, não só porque o processo de criação e pesquisa deve representar uns 50% do aprendizado, como porque as cartas acabam sendo muito peculiares para cada pessoa. Por exemplo, meus decks em geral começam bem detalhados e organizados, mas com o passar do tempo se adaptaram à minha forma de estudar. A maioria das cartas não contem nada mais que frases copiadas de jornais, tv e etc, sem sequer tradução ou notas, o que, creio, não ajudaria ninguém além de mim.

      Peço desculpas por não compartilhar, mas acredito que para fins de aprendizado precisa ser assim (o que não me impede de colocar mais modelos de cartas, caso haja demanda).

  3. O loco ashusahs
    Engraçado como é igualzinho as minhas folhas de caderno, a diferença é que Eu deixava elas assim treinando o alfabeto de hiragana asuhashs
    Ainda tenho que decorar katakana, mas meus estudos tão um pouquinho parados ultimamente, vou tentar pegar nesse fim de ano umas 2, 3 semana firme e decorar logo, pra então ir atrás de vocabulário e tal, até um dia chegar nesse pequeno monstro que é o anki ashuashs

    E esses decks são feitos pelos próprios usuários é isso?
    E existe forma de compartilhar eles?
    Claro que cada um faz de acordo consigo mesmo né mas de repente é util, até pq você vai tentar aprender de uma maneira diferente, é bom pro cérebro

    • Os decks podem ser compartilhados ou feitos pelos usuários. Por experiências própria acredito que decks compartilhados não servem para quase nada, já que o aprendizado passa por criar suas próprias cartas.

  4. Oi Eduardo,
    Faz algum tempo que leio seus artigos de como estudar, qual a melhor forma, etc…
    Tenho aulas particulares com uma professora nativa a alguns anos, mas nunca pude me dedicar fora dos horários de aula (uma hora e meia, uma vez por semana). Um dos meus maiores problemas é não me expressar com qualquer um e isso eu tenho plena consciência que é péssimo para o aprendizado de um idioma. Se fosse fácil ir para o Japão tenho certeza que teria que me comunicar na marra…rsrsrs
    Agora com as facilidades dos smartphones, gostaria que fizesse uma postagem do que você acha bom usar além do Anki.
    Andei encontrando alguns aplicativos para Android como o JA Sensei, JED, Obenkyo e dicionários como o Aedict e o Kanji Recognizer.
    Procurando em Nihongo no próprio Google Play eu encontro uma infinidade de outros, mas não sei especificamente pra que servem.
    Obrigado,

    • Olha, confesso que nunca me entendi com os aplicativos de celular, mas isso tem a ver também com o fato de que com o tempo eu mesmo parei de usar o Anki e meu aprendizado entrou na fase puramente cotidiana, ou seja, entre livros, jornais e filmes.

      Dito isso, no Android uso muito o JED, é um dicionário ótimo, e existe o aplicativo do Anki no iOS, e talvez também no android, mas é pago. Além disso, o Anki pode ser usado na versão web e de graça, e para quem usa 3G, fica fácil.Existe ainda um site similar ao anki chamado Surusu, que é ainda mais leve e pesa menos na internet.

      Espero ter ajudado um pouco.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s