Como os japoneses (e outros estrangeiros) vêem o Brasil

Falar da visão dos estrangeiros com relação ao Brasil é algo altamente subjetivo, não só da parte da visão individual de cada estrangeiro como da própria forma como eu interpreto o que eles revelam dessa visão. Deixo isso bem claro para não ficar com a aparência de que estou generalizando a opinião de pessoas de outros países.

Começando pelos japoneses, a grande maioria tem uma visão que se restringe ao futebol e a violência. Esse é o binômio que me pareceu preponderar entre os nipônicos, que não tem a menor noção do tamanho e diversidade do Brasil, o que vem do quão homogenea é a socidade japonesa, que de certa forma os impede sequer de imaginar a quantidade de “raças” diferentes que podem habitar e serem nacionais de um país. Um Japonês conhecido meu que estava na França e não acreditava na diversidade daquele país, achando que era o local mais variado do mundo, quando na verdade são apenas brancos, árabes e negros, sem muitas misturas. Então minha primeira constatação é: mais do que se prender a estereótipos por conveniência, eles não tem a possibilidade de imaginar a quantidade de diferenças que podem coexistir, provavelmente em função de estarem presos a uma sociedade bastante homogênea (e ao mesmo tempo por uma recente falta de interesse em conhecer melhor outros países). Logo, retornando mais concretamente a visão deles, quando se pergunta o que pensam do Brasil falam os nomes de alguns jogadores, lamentam a violencia, perguntam se eu já vi frio (não fazem noção da quantidade de climas que temos por aqui)… Enfim, nada diferente da visão estereotipada que os próprios brasileiros tem de outros países.

Os demais estrangeiros também tem obviamente uma visão estereotipada do Brasil mas a grande diferença é que enquanto a dos japoneses é de certa forma inocente a dos ocidentais é muito mais maliciosa. Além do futebol e da violência o que pareceu ser o principal simbolo do Brasil são as drogas, é incrível como a grande maioria tem uma visão de que o Brasil é o pais da cocaína. Além disso pelo fato do filme Cidade de Deus ser bastante famoso no exterior ele claramente influencia em muito a visão desses estrangeiros. Ah, o Brasil também é muito famoso por fazer parte do BRIC, acredito que lá esse grupo é muito mais famoso que aqui, qualquer estudante conhecia mas aposto que de cada 10 brasileiros 1 ou 2 sabem o que são…

Sempre ouço que estrangeiros adoram o Brasil e etc mas não foi isso que vi e posso imaginar porque. Geralmente essa visão do estrangeiro que adora o Brasil vem das pessoas que tem contato com eles aqui mesmo, e nesse caso já havia um interesse prévio no país, ou então daquele estrangeiro que acolhe ou aborda brasileiros no exterior, mas age assim por também ter um interesse em nós. No Japão eu tive contato com estrangeiros interessados no… Japão, e reparei que isso tira em muito o foco de interesse em países fora da Ásia, logo, o meu contato com estrageiros não revela uma visão muito precisa de como realmente veêm o Brasil, pois já pressupunha um tipo de interesse diferente. Ainda assim duas coisas me chamaram bastante atenção: 1) O fato de muitos asiáticos e, e também europeus, especialmente os franceses que conheci, terem uma visão ainda mais restrita daqui, chegando ao ponto não só de não saber onde é no mapa mas, mais ainda, de não saber absolutamente nada de nossa existência fora o nome; 2) Os coreanos me supreenderam com conhecimentos sobre o Brasil, mas especificamente no que diz respeito ao futebol, enquanto a maioria das pessoas conhece só ronaldinho, ronaldo muitos coreanos conheciam muitos jogadores, e inclusive muitos times como Inter, Gremio, Corinthians e etc…

Quanto a um grupo mais restrito, que são os japoneses do clube da América Latina ou do Brasil, também havia um desconhecimento muito grande, mas um esforço enorme em aprender até mesmo pequenos detalhes que vão desde economia(plano real), tecnologia (carros bicombustivel e etc) até pequenos detalhes como a forma como pronunciamos Yakult. Nesse sentido eles pareceram muito mais próximos de nos entender do que o brasileiro que gosta do Japão mas tem uma visão completamente maluca de que lá tudo gira em torno de anime, manga, honra e etc…

Bom, essa foi a visão do Brasil que pude presenciar, nada muito positivo para o nosso lado…

Anúncios

31 Respostas para “Como os japoneses (e outros estrangeiros) vêem o Brasil

  1. Ainda estou esperando por novos posts aqui! -^.^- Você poderia falar sobre bancos, por exemplo. Pelo que sei os japoneses não trabalham com cheques, e há a tecnologia de se pagar as coisas com o celular, mas e aí? Que forma de pagamento as pessoas usam mais? Cartão de crédito? E como é que as coisas funcionam entre você e o banco, com as contas e tal? Você teve uma conta bancária no Japão? *enche de perguntas*

    Viu, a propósito, eu estou mandando email para você no endereço do gmail, que é o que consegui achar no meu catálogo de endereços. -o.o- Você ainda usa ele, será?

    • A forma de pagamento mais utilizada por todo mundo é dinheiro. Cartão é bastante incomum e o celular é mais usado para pagar o trem ou comprar coisas em 自動販売機.

      Eu tinha uma conta bancária sim, no Yucho, era bem interessante, eles ainda usam bastante aquelas cadernetas em que “imprimem ” a movimentação na conta… Realmente vou fazer um post sobre bancos, ainda que minha relação tenha sido apenas abrir a conta, receber dinheiro todo mes e no final esvaziei ela (mas não fechei, ela é gratuita, sem um dia voltar vai estar lá me esperando, e como uma taxa de juros menor que 0 nem dividas nem dividendos rendem muito por lá…).

  2. legal seu blog,achei por acaso.Vc tem razao qto aos estereotipos e da visao equivocada dos brasileiros pois infelizmente a maioria dos estrangeiros nao gostam das atitudes dos brasileiros.Acham mal educados,inconvenientes e com pouco interesse cultural sendo facilmente ligado ao carnaval,futebol e sexo.Bem basta ver a tv do Br e tirar as proprias conclusoes.O fato eh que devido a estas pessoas,muitos brasileiros que desejam se aperfeicoar profissionalmente no exterior
    acabam pagando o pato.

  3. pq ate hj os brasileiros sao vistos cm perigosos,matadores,estranhos,bandidos,que nao querem sb de nd,e entres outros?????????????

    • Creio que isso acontece pois os indices de violência do Brasil são alarmantes. Por termos crescido aqui achamos normal essa insegurança constante, esse medo de assaltos e etc, mas isso não é normal lá fora. Convenhamos, quando saímos na Rua no Brasil suspeitamos de todo mundo, qualquer um pode ser um bandido, isso não é muito diferente da visão que os estrageiros tem nós.

  4. Pingback: Pesquisa e Referência « Yoko no Rio·

  5. Isso acontece bastante,as vezes parece que a maioria dos japoneses vêm a America inteira como EUA (isso me deixa fula kkk),mas tudo bem,eles são bastante fechados em relação a outros povos,diferente do povo brasileiro,nós sempre sabemos bastante a respeito das outras nações,acho que ainda sobraram alguns resquícios de colônia,nossa identidade está meio longe de ser completamente alcançada.

    Adorei o blog.

  6. Tem americanos que, por só estudarem sobre seu próprio país, desconhecem os outros, chegando a pensar que aqui no Brasil, fala-se espanhol…

    *Uma correção: o nome correto é BRICS (Brazil, Russia, India, China and South Africa)!

    Adorei seu blog!

    • Praticamente todo mundo de todos os países acha que o idioma daqui é espanhol. Mas no final das contas, que somos nós para julgar? Diria que 90% dos brasileiros não saberia dizer os idiomas falados no Canadá, China, Suíca, Bélgica, Índia, só para citar países bem relavantes no cenário internacional.

      Quanto aos BRICS, realmente hoje em dia é assim, mas na época da elaboração do post ainda era BRIC. Vou pensar se modifico ou se mantenho a integridade para manter ele compatível com a época em que foi escrito. De qualquer forma, valeu pela correção !

  7. Engraçado, eu morei três meses no Japão agora para uma pesquisa da faculdade e em geral todos pareciam adorar o Brasil. Qualquer lugar que eu entrada, restaurante, lojas, era recebida com “Burajirujin?? SOKKA!! CANIBARU! NEYMARU! SUGOI!” Eles não pareciam conhecer muito do Brasil, mas sempre perguntavam por um monte de informação, então em geral se mostravam interessados.

    • Interessante, mas acho que o japonês que aborda espontaneamente um brasileiro é justamente alguém da categoria da qual falei no penúltimo parágrafo, aquele que tem um interesse pelo Brasil, e via de regra são os japoneses que conseguem se comunicar com um estrangeiro. Essa é uma minoria, mas é a maioria das pessoas com as quais o Brasileiro tem contato, e acabamos generalizando sem testar em uma amostragem maior de pessoas diferentes.

      No meu caso eu me relacionei com muita gente que não estava lá para acolher um estrangeiro, que não estava lidando comigo voluntariamente. Japoneses comuns, falando japones, sem muito interesse pelo mundo exterior. Nesse caso a impressão não era boa.

      O ideal seria fazer uma pesquisa ampla com diferentes grupos e ver se predomina a visão boa ou ruim, quem sabe alum dia em um retorno ao Japão.

  8. Pois é, quando minha irmã mais velha foi trabalhar no Japão e conheceu meu primo Hiroshi ele sempre perguntava se no Brasil existia isto ou aquilo. Ele perguntou por exemplo se no Brasil existia Mac Donalds. Outra vez quando meu pai foi visitar minha avó que já estava nos seus 80 anos um parente dele perguntou: E ai, o que você esta comendo no Brasil, pão?
    Ai meu pai respondeu: -Não, estou comendo arroz e feijão.
    Ficaram surpresos, achavam que aqui não se comia arroz.

    • Ótima lembrança. Também passei por isso na questão do arroz. Os japoneses se prendem tanto no estereotipo ocidental de que arroz é uma comida oriental que esquecem que fora do eixo Europa, América do Norte é um alimento de consumo diário.

  9. Morei por dez anos no Japão, em três regiões diferentes. O que aprendi é que a cultura é diferente entre os povos, mas gente é igual em qualquer lugar. Como o caso do feijão, brasileiro se espanta que japonês faz doce com feijão e japonês fica incrédulo quando vê o feijão no arroz, cada um tem o seu ponto de vista. Sofri preconceito por alguns mas conheci pessoas formidáveis. Japoneses são bem fechados e por isso, quem vai lá tem uma sensação de que não gostam muito de estrangeiros, mas se mostrar interesse pela cultura japonesa, eles ficam muito contentes e acabam sendo muito simpáticos. Quanto à falta de quererem conhecer outros países, acho uma afirmação equivocada, quase todos os japoneses que conheci foram para algum outro país, dependendo de quanto ganhavam. Então fica uma pequena dica, quando forem ao Japão, mostrem que foram lá para aprender a cultura e que querem se integrar aos costumes, aprendam palavras em japonês (nihongô), não fiquem julgando as diferenças, nenhuma pessoa gosta que estrangeiros façam isso. Isso me abriu mais portas e a mente.

    • Claudio, interessante sua experiência e opiniões.

      Na questão de não querer conhecer outros países, infelizmente apesar de ter conhecido uma maioria que tinha uma postura mais internacional (talvez por sermos estrangeiros acabamos atraindo bem esse tipo de pessoa), os números mostram o contrário. O fenômeno tem até uma definição na wikipedia (ou seja, é algo que já caiu até no senso comum):

      http://ja.wikipedia.org/wiki/%E5%86%85%E5%90%91%E3%81%8D%E5%BF%97%E5%90%91

      Uma notícia com alguns números:

      http://www.nikkei.com/article/DGXNASDG0804I_Y3A200C1CR8000/

      • Olá Eduardo. Acho que entendi, você foi estudar no Japão então deve ter tido muito contato com os estudantes japoneses. Pelos artigos que você mandou é isso mesmo, mas tem vários fatores e acho que o grupo é bem limitado para generalizar. Fazer faculdade no Japão é caro e não são todos que podem, ainda mais para fazer pós ou uma especialização em outro país. Além disso tem o fato de que os jovens estão mais confiantes na cultura japonesa. Isso eu ouvi um senhor japonês dizendo que nunca tinha visto jovens gritarem o nome do Japão (durante a copa do mundo) e pedia para os jovens confiarem mais no país. Havia esse problema, os jovens estudantes de lá davam mais valor para culturas estrangeiras, principalmente a americana. Mas realmente, a diversidade aqui no Brasil é enorme e ninguém acredita muito. Já visitei alguns países e as pessoas ficavam desconfiadas quando eu me apresentava como brasileiro, aquela expressão na cara “Esse japonês está mentindo” ou tentando falar comigo em espanhol, muito engraçado tudo isso.

      • Claudio, você tocou em um ponto interessante. Alguns dizem que é falta de interesse fora do Japão, mas, realmente, pode ser um aumento de confiança ou de interesse no próprio país. Apesar disso, lembro que quando o Naoto Kan assumiu o gabinete muita gente criticou ele por ser o primeiro Primeiro-Ministro em muitos anos a não ter estudado fora do Japão, então fica claro que na opinião pública ainda resta uma visão meio negativa desse uchimuki.

  10. como sera que ficará a imagem do Brasil depois da copa e das olimpíadas que serão realizadas aqui para o japoneses? porque não sei se fico contente com os protestos ou decepcionado por mostrar mais uma vez imagens de violência do país para o resto do mundo.

    • Boa pergunta. Acho que tudo vai depender da forma como o evento e qualquer incidente for noticiado por lá. É mais uma questão de forma pela qual a imagem é passada do que do conteúdo, dos acontecimentos de verdade.

  11. Uma coisa que sempre me chamou a atenção é a seguinte. Eu sei que há muito imigrantes brasileiros no Japão, e que a grande maioria deles são nipo-brasileiros. De que maneira os japoneses enxergam os nipo-brasileiros e de que maneira essa relação com os dekasseguis afeta a maneira como os japoneses enxergam o Brasil? Não sei nem se dá pra responder isso (se der é de maneira bem subjetiva) e muito menos se fui claro.

    • Olha, a informação geral que se tem é que existe um preconceito grande contra os dekasseguis em uma dupla dimensão: 1) São descendentes que geralmente não falam japonês, e sem os hábitos típicos dos japoneses. O japonês vê como obrigação que o nikkei seja como um nativo, e ao perceber que o nikkei é, afinal de contas, um brasileiro, gera uma rejeição grande; 2) O dekassegui vai ao Japão fazer o trabalho de fábrica que o japonês não quer fazer, então ele é visto numa hierarquia baixa da sociedade, inferior aos trabalhadores de colarinho branco.

      Some esses dois fatores a quantidade de crimes cometidos por brasileiros, e você acaba tendo uma imagem bem ruim do Brasil.

  12. Fiz intercâmbio no Japão em 2003 e achava até engraçado o fato de eles acharem que todo branco era europeu ou americano. Me olhavam e falavam “america-jin” (o que de certo modo é né?). O pessoal de outros lugares ficava doido. Também percebi que quem estava lá era interessado no Japão, inclusive americanos, que eram muito diferentes do estereótipo que temos deles. Claro que às vezes você conhecia alguém da família que foi visitar e a pessoa era exatamente esse estereótipo, e detestava tudo no Japão. Sei que tem gente que fica ofendida, mas eles viajavam tanto de um modo geral em relação a todos os países que eu achava engraçado. Falo isso das pessoas fora do meu círculo, o pessoal do intercâmbio, que era mais bem informado.

  13. Muito bom o seu artigo,eu só espero que no futuro os estrangeiros tenha uma visão menos negativa do Brasil,claro nosso governo,leis e políticas precisam ser reparadas para que o país fique com uma imagem melhor,acho que se o governo se focasse mais na segurança,educação,saúde e desenvolvimento tecnológico ao invés de roubar o povo o brasil iria pra frente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s