Terremoto no Japão

Eu tinha preparado um post sobre a visão dos estrangeiros sobre o Brasil mas o momento parece propício para falar um pouco do terremoto de 8.9 pontos que atingiu o Japão essa semana. Muita gente diz que foi sorte eu ter saído do Japão antes de isso acontecer, eu considero um azar enorme. Sim, foi uma tragédia terrível mas mesmo com tremores relativamente fortes em Hachioji não houve danos ou feridos, ou seja, eu teria tido a oportunidade de observar de perto o que está acontecendo. Teria sido a oportunidade de ver com certa segurança, em tempo real, como um país, como um povo reage a um incidente dessa magnitude, seria a chance de ver como os japoneses sentem uma tragédia, como é sua solidariedade com seus irmãos, como manifestam suas preocupações, como reagem diante do medo. Enfim, para mim foi uma chance perdida de conhecer mais os japoneses podendo ver eles um pouco fora dessa fachada calma e despreocupada que muitos apresentam.

Agora, revisando um pouco minha experiência com terremotos, dos que eu senti foram apenas quatro. Em dois deles eu estava comendo e derrepente vi meu prato tremer um pouco, se mover um pouco. Sim, apenas isso, nada de pânico, nada de não conseguir ficar em pé, apenas pratos que se movem sozinhos. O terceiro foi atravessando uma passarela que chachoalhou um pouco, todos se olharam sem preocupação, apenas parecendo tentando assegurar que era apenas mais um terremoto fraco. Em outro um pouco mais forte estava dentro do trem, ocorre que os trens já “tremem” naturalmente, então a única coisa que indicou o terremoto foi o trem parando um aviso dizendo que tinha parado por conta de tremores. Sei que é de certa forma tolo desejar viver uma tragédia, e não é o que desejo, o que gostaria era de ver como as pessoas se comportam nessa situação, e mais do que isso, como eu me comportaria, como poderia eu mesmo poderia ajudar.

Algo que pode ser mais interessante para quem está lendo são os relatos de meus amigos que estão lá. Na região de Tokyo, e consequentemente Hachioji não foi tão forte quanto Sendai, por exemplo, logo os tremores assustaram mas não trouxeram pânico. Uma amiga que mora sozinha contou que seus móveis caíram e alguns quebraram. Outra amiga francesa ficou apavorada e seus pais já providenciaram passagens para retornar a França. A grande maioria disse ter sido forte mas nada assustador, alguns colegas que estavam em Osaka e Kyoto tiveram ainda menos contato com os tremores. Outros colegas ficaram bastante preocupados com a explosão na Usina Nuclear de Fukushima, a 250 km de Tokyo, especialmente porque não entendem os noticiários japoneses, e aparentemente os noticários estrangeiros ficaram mais preocupados que os nacionais (com alguns americanos dizendo ser um dos tres piores acidentes nucleares da história sem explicar as implicações disso, enquanto muitos noticiários japoneses preferem não dimensionar dessa forma mas também sem especificar o quao preocupante é). Geralmente as medidas que o governo Japonês toma são rigorosas aos olhos dos ocidentais. Ao isolar dezenas de pessoas, evacuar centenas de milhares é natural aos olhos de pessoas que não entendem as justificativas ou a política de segurança japonesa imaginar que estão vivendo um risco eminente de contaminação no país inteiro. Para quem acompanha mais como o governo lida com incidentes sabe que eles preferem não arriscar, eles preferem evacuar mesmo com riscos minimos (situações que as vezes nem alarmariam outros países, mas não que seja essa asituação atual) do que arriscar. Isso me lembra inclusive em pequenas obras, por exemplo numa duplicação de uma rua perto do alojamento ou na limpeza do tunel, pelas vias ficarem mais estreitas há diversos funcionários apenas para cuidar da segurança dos pedestres e motoristas, controlar o transito de bicicletas e etc… Japoneses são muito cuidadosos, e nessa medida a princípio prefiro esperar para ver como essa situação de tsunami e explosão em usina nuclear vai se desenvolver. Entretanto, recentemente o Japão tem deixado de prever diversos problemas que afetaram a população e quem sabe não há ainda muitos riscos que ainda nem perceberam e podem eventualmente ampliar a tragédia…. Já são com certeza terriveis os resultados, mas não podemos usar um olhar ocidental para interpretar o tamanho do desastre a partir das reações do cauteloso governo japonês e de sua mídia algumas vezes exagerada e da visão estrangeira sobre o incidente, devemos esperar e ver o que vai acontecer.

De qualquer forma, outra coisa a se preocupar além das vidas perdidas e das dificuldades individuais é o impacto econômico. Como eu disse meses atrás no blog, o governo teme que a chegada do esperado Grande Terremoto de Kanto esteja próxima e isso adiantaria a falencia do país em cerca de 15 anos. Se consideramos que o terremoto de 1995 em Kobe impactou o PIB do país em 1.5%, provavelmente o atual também irá atingir fortemente a economia, especialmente nesse momento em que o país ainda sofre com a crise e não dá sinais muito bons de recuperação. Há muita coisa para se pensar em relação as implicações desse terremoto e essa semana pretendo ler vários jornais, editoriais e ouvir programas de rádio japoneses para trazer ao blog as preocupações deles e não apenas da comunidade internacional.

De qualquer forma, espero que tudo de certo, que o número de vítimas seja o mínimo possível e que o país se recupere o mais rápido possível, pois infelizmente ainda se espera em no máximo 20 anos um terremoto ainda pior em matéria de destruição.

Anúncios

2 Respostas para “Terremoto no Japão

  1. Edu, minha amiga está voltando, disse que a situação em Tokyo está bem difícil, em relação a usina, muito racionamento e estão esperando um novo terremoto…estou muito triste com tudo, difícil ver as imagens e imagino que para você também não seja fácil, acabou de passar por lá, conheceu o Japão tão lindo e agora…aaafff!

  2. Edu, parabéns pelo blog.
    Felizmente consegui entrar em contato com alguns amigos meus em Tokyo (japoneses mesmo) que não demonstraram estar em estado de Pânico como pensei que estivessem. Também gostaria de estar por lá pra ter uma noção melhor de toda a estrutura solidária e de segurança japonesa. Realmente a situação em que o Japão se encontrou nestes últimos anos foi realmente muito infeliz, passando por um período de crise agravante por ser “dependente” dos Eua e agora mais essa, com o terremoto! Segundo o que um amigo meu dizia, o Japão só não “afunda” pelo fato da mão de buda que o segura e protege. Por mais que eu não seja um religioso, acredito que está mais do que na hora de que todos acreditem, sejam solidários, pois acreditem, o Japão para sempre será o Japão!

    Kimigayo wa
    Chiyo ni yachiyo ni
    Sazareishi no
    Iwao to narite
    Koke no musumade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s