Aulas – Parte 1

 

Nesse post vou falar um pouco sobre as aulas que estou tendo aqui, já para adiantar alguns assuntos interessantes que podem vir a se tornar temas para outros posts. Após a visão geral das aulas quero falar um pouco da postura dos japoneses em sala, bem como a diferença de postura conforme o curso (já que além de matérias de direito eu faço matérias de história ou comuns a todos os cursos).

A segunda feira começa com 国際政治論 (Política internacional), que é uma das aulas que mais gosto. É fácil de compreender o que o professor fala e ele é bastante organizado, o que ajuda a fazer anotações (apesar de que entender o que ele escreve não é tão fácil, já que o kanji em letra “corrida” tem muitas vezes um formato bastante diferente). Quando se estuda em um idioma cujo domínio não é completo essa questão de qual professor fala muito rápido, qual fala muito devagar, qual utiliza bem o quadro ou não se torna ainda mais importante já que a aula é uma atividade dupla de compreensão do idioma e do conteúdo. De qualquer forma, entrando no conteúdo, a aula é basicamente história da política internacional, teorias de relações internacionais e comentários sobre assuntos atuais no início da aula, como as recentes crises diplomáticas entre Japão e China. Um dos pontos mais interessantes é que existe a preocupação em mostrar mais sobre a origem dos Estados Asiáticos, e mais do que isso, como eles se difereciavam dos Estados e nações ocidentais, qual a sua visão do mundo, qual a visão sobre o próprio conceito de nação de países asiáticos, geralmente algo que é visto muito superficialmente no ocidente.

A aula seguinte é de compreensão auditiva japonês. Assistimos documentários e com base neles fazemos ditados e respondemos perguntas. Já tinha aulas nesse formato semestre passado, agora os documentários são mais longos e complexos, mas é um formato que não tenho muito problemas já que tenho treinado bastante compreensão auditiva assistindo programas de TV sempre sem qualquer tipo de legenda (ainda que seja difícil no início acho que é muito importante tentar, mesmo que a princípio a compreensão seja complicada aos poucos se torna um hábito captar palavras desconhecidas dentro do contexto, algo muito mais difícil do que quando se está lendo alguma coisa e há todo tempo do mundo para entender antes da próxima sentença).

A terceira e última aula do dia é Economic Development of Contemporary Japan. O foco é o desenvolvimento economico do país após a segunda guerra mundial, tentando compreender as políticas da Ocupação Americana e posteriormente do Governo Japonês que levaram a crescimento da economia acima de 10% ao ano, algo que nunca tinha sido visto até então. Também estudamos a cultura, ética, estilo de adminsitração de companhias que pode ter levado a isso. O Japão foi devastado na Segunda Guerra Mundial e em poucos anos se tornou a segunda maior economia do mundo, apesar disso não lembro de ter estudado na escola quase nada sobre o tema. Um país com revolução industrial tardia, derrota na guerra e que cresceu dessa forma deveria servir de exemplo para o Brasil, mas acho que pouca gente se dá ao trabalho de tentar qualquer tipo de comparação. Existe essa imagem na cabeça dos brasileiros do Japão como um país completamente diferente, uma imagem mística do oriente quando na verdade é um país que funcione dentro de moldes completamente ocidentais, ainda que sempre valorizando as particularidades da sociedade japonesa. O Direito Japonês também não é nada misterioso se observarmos que também é baseado em nos Códigos Europeus.

A terça feira começa com aula de leitura e compreensão de texto em japonês. No primeiro dia optamos por literatura em vez de leitura de jornais então agora estamos lendo contos e trechos de autores famosos, sempre prestando atenção no vocabulário e gramática mas também no estilo diferenciado dos autores. Desde o semestre passado considerava o professor Yamamoto como o melhor em matéria de didática e explicações, então é ótimo que ele seja o encarregado de nossa turma.

A aula seguinte é 法学概説b, que é algo como uma visão geral do Direito. Como é a segundo semestre da matéria começamos estudando alguns elementos do Direito de Família. Esse professor é o mais difícil de compreender, devido a um sotaque um pouco complicado, a velocidade com que ele fala e a especificidade dos assuntos. O início da aula também versa sobre atualidades, mas diferente de outros professores são relacionadas a coisas que todo japonês conhece mas que um estrangeiro não tem como saber, de forma que não a qualquer introdução ao tema ou aos nomes envolvidos (seria como se um professor brasileiro falasse do Maluf assumindo que todos sabem de quem se trata, mas é evidente que um japones não teria idéia). Durante a aula estudamos alguns pontos polêmicos do Direito de Famílai Japonês. É impressionante como o tratamento dado ao homem e a mulher ainda é diferente na própria lei, de forma que muitos dispositivos legais soam bastante machistas, apesar de que por força de jurisprudencia muitos deles não se aplicam ou foram relativizados (por exemplo, a mulher que se divorcia tem que esperar 6 meses para casar, de forma a evitar problemas de paternidade, mas existem decisões que não reconhecem esse dispositivo).

A terça feira termina com a aula de escrita acadêmica, cuja maioria dos alunos são coreanos escrevendo suas monografias e preparando para se formar. Essa é uma aula muito útil pois o idioma japones varia muito conforme o objetivo a que se dirige. Existe uma linguagem formal e informal com muitos níveis de formalidade e informalidade. Também existe uma linguagem falada e uma linguagem escrita. Dentro da linguagem escrita existe a linguagem para uma carta, para um e-mail, para um reportagem de jornal, para um livro, e são diferentes da linguagem para um trabalho acadêmico. Em certa medida existe essa diferença em portugues também, mas no japonês ela é muito mais acentuada, já que além do vocabulário ser muito diferente em cada tipo a própria gramática varia. As formas verbais, as formas como se conecta uma frase a outra, a forma como se pode ou não terminar uma sentença, tudo é muito diferente do que qualquer outro tipo de linguagem. Não vou entrar em detalhes porque esse tipo de assunto teria que ser tratado em um post específico pelo risco de ser entendiante demais para os que não tem interesse no idioma.

No próximo post vou falar das aulas de quarta e quinta feira e de como os japoneses se comportam em sala de aula. Depois disso retornarei a posts mais cotidianos antes de voltar aos assuntos tratados em aula.

Ps. A foto é da festa de aniversário de um amigo da Republica Dominicana, e é relacionado ao post na medida em que sair com pessoas de vários países é uma aula de interculturalidade 🙂

Anúncios

2 Respostas para “Aulas – Parte 1

  1. Por que diabos está todo mundo tão bronzeado nessa foto e como é que quatro pessoas estão usando camisas xadrez e nenhuma delas é você?

    • Camisa xadrez é a roupa padrão da maioria das pessoas aqui. Eu era japonês e não sabia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s