O terror do verão japonês

Agora com o fim dos exames voltei a ter tempo para escrever no blog, estou com algumas idéias em mente mas dessa vez vou falar novamente sobre algumas coisas cotidianas do Japão.

Primeiramente, sobre o clima. O verão daqui é absolutamente insuportável, é o pior calor que eu já senti na vida. No período do tsuyu (período de chuvas) a temperatura ficava entre 30 e 32 graus, mas o nível de umidade era tão alto que qualquer lugar parecia um forno. Algumas vezes a umidade era muito alta (cerca de 85, 90) que mesmo sem chover os locais ficavam molhados, e era possível ver toda essa água no ar, não era exatamente uma névoa, mas algo que deixava o ar borrado, enfim, um excesso de água no ar. Além disso a própria pele ficava com uma sensação úmida. Outro problema nesse clima é que só de por os pés para fora de locais fechados todo mundo começava a suar imediatamente, infleizmente meus conhecimentos de biologia não são suficientes para explicar porque…

Agora que o tsuyu acabou a temperatura está subindo gradualmente, nos últimos dois dias tivemos cerca de 35, 36 graus. Aqui surge outro problema para os moradores de Hachioji. Hachioji é cercada de montanhas, o que significa que o sol aquece a cidade mas o ar quente não circula, de forma que aparantemente a sensação térmica é de 40 graus. Pelo fato de estarmos em um ponto mais alto que o centro de Tokyo ainda recebemos o ar quente que vem do bolsão de calor da cidade. Enfim, com um ar quente parado desses é difícil até de respirar, e quando raramente bate um vento não ajuda em nada porque só serve para jogar ar quente na cara das pessoas.

Com o verão vieram também os insetos. Pelo que tenho visto, apesar de morar quase no meio de uma floresta não existem muitos tipos de animais grandes. Há muitos corvos (que são de uma espécie gigante por sinal), alguns gatos, pouquíssimos cachorros e eventualmente vejo tanukis (texugo) ou esquilos. Em compensação há um enorme quantidade de insetos. Vou falar apenas dos que mais me impressionam.  As vezes vejo besouros ou escaravelhos enormes, com aqueles cabeças que parecem ter chifres gigantes,  são insetos agrdáveis e interessantes, em compensação há também centopéias e gejigeji. A centopéia já é algo bem desagradável, mas o gejigeji é horrível, é como se fosse uma centopéia só com que pernas compridas, um desses apareceu dentro do nosso bloco por sinal. Outra coisa que apareceu por aqui foram vespas, e as vespas japonesas são verdadeiros monstros do tamanho de um dedo humano. Também há muitas aranhas ninjas, as vezes estou andando, pedalando ou sentado embaixo de uma árvores e derrepente, silenciosamente, essas criaturas começam a descer das árvores em fios, ou mesmo a pular em cima. Por fim há ainda as cigarras. Qualquer pessoa que já assistiu algum filme/anime japonês já ouviu o clássico som de cigarras japonesas. Bom, só posso dizer que aquilo é real, a partir do momento que o sol começa a surgir elas começam a cantar, e como aqui tem muita árvore chega um ponto que começa a encher o saco 🙂 Enfim, a experiência com animais japoneses não tem sido a melhor…

Nao consigo pensar em alguma coisa agradável no verão, tirando o ar condicionado, que existe em toda a parte. Ao menos a sensação de sair do forno a céu aberto e entrar em ambientes agradáveis é muito boa. Outra coisa que o verão proporciona é uma escalada mais fácil do Monte Fuji, já que o topo não fica muito frio. Tinhamos planejado escalar essa semana, mas estou achando que não vai acontecer. A princípio seria no sábado passado, mas ao menos no meu caso teria sido muito difícil pois passei o dia em um tour organizado pelo departamento de economia da universidade, que foi muito agradável por sinal, andamos de barco, subimos em um prédio bem alto, vistamos locais interessantes… Por sinal, sexta feira fui no museu do Studio Ghibli, e, como as obras do estúdio, é impressionante, tem um ambiente muito agradável, é uma casa cheia de escada e portas de vários tamanhos e cada sala tem um acervo muito bacana de coisas relacionadas a animação em geral, mas principalmente relacionadas às obras do Miyazaki (que alguns chamam de “Disney Japones”)…

Dia 2 eu vou viajar para Kyoto (que assim como Hachioji é muito quente pois fica no meia das montanhas =/ ) junto com um colega coreano do alojamento. Conseguimos um local muito barato para ficar, devemos passar cerca de 10 dias por lá, aproveitando para visitar também Osaka, Nara, Himeji e quem sabe outras cidades da região. Pretendemos viajar para lá usando um passe especial de trem chamado Seishun 18 Kippu, e lá pretendemos utilizar outro passe chamado Kansai Surutto. Após a viagem explicarei melhor o funcionamento dos passes e se realmente vale a pena usar.

(Fotos dos passeios que tenho feito e de paisagens de verão em geral estão no meu orkut)

Anúncios

8 Respostas para “O terror do verão japonês

  1. heheh Adorei a parte do “insuportável” ^^ Aqui em recife eu sei bem como é ter uma umidade e temperaturas altas, 30~36° é o normal aqui o ano todo. Mas como é uma cidade litorânea não temos tanto desse “abafado de ar queste”, só vez ou outra aparece. Beba bastante água, nessa época a gente desidrata e nem percebe.

    Adoro teu blog =D esperando ansiosamente o próximo post!

  2. gejigeji? pode tirar uma foto? e vespas do tamanho de dedos? Aranhas ninjas?Então aqueles desenhos japonêses que assistimos são reais????? Nossa Edu, volta para cá!!!!!!

  3. Olá Eduardo.
    Eu estava dando uma olhada em suas fotos do orkut, foi quando vi uma foto no álbum “Asakusa e Meiji Imperial Palace” e na sétima foto do álbum tem um loja, com umas luminárias, e umas delas, tem um símbolo.
    Aquele símbolo que tem na luminária não do nazismo?

    • Na verdade a Suástica é um simbolo budista que representa dharma, harmonia, e é inclusive utilizada para indicar templos em mapas. Apesar de ser estigmatizado no ocidente é bastante comum por aqui.

  4. Assim como o Mozart e a Daisy fiquei curiosa e queria ver uma foto do gejgeji e tbém das aranhas ninjas.
    Não tem uma piscina ai no campus?
    Com este calor quem sabe ajuda!

  5. Alves-san

    Ogenki desuka?

    Assim como você, passei momentos terríveis no verão japonês. O calor faz com que a gente não consiga nem se alimentar direito. Ainda bem que hoje em dia há ar condicionado em todo lugar, pois quando fiquei aí, não havia ar condicionado nem nos trens e nem nos ônibus. Só japoneses suando e pegando aqueles lenços feitos de toalha tentando secar a testa que não parava de pingar.
    A gente (brasileiros) comentava que ainda bem que eles não cheiram tão mal porque aí a coisa seria terrível.
    Tome muito líquido e se alimente bem para não ficar fraco e adoecer. Existe até uma palavra em japonês para indicar a fraqueza que o verão causa: “NATSUBATE”.
    O cumprimento usual das cartas japonesas no verão é “natsubate shinaiyouni okio tsukete kudasai”, ou seja, cuide-se para não ficar fraco com o calor.

    Boa viagem! O oeste japonês é uma região muuuito interessante e bonito.

    Satomi

  6. Olá, amei o texto!
    Moro em Okayama-Ken Soja-Shi e por aqui a sensação térmica está marcando 42 graus, isso no vento prometido de 16 km/h imagina dentro do asilo onde caminho SEM o ar condicionado ligado. Risos, a experiencia no Japão é interessante, não acha meu amigo?
    Abraço cordial.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s