Soka Daigaku

Hoje vou falar um pouco sobre a Soka Daigaku. É uma Universidade particular vinculada à Soka Gakkai que é uma organização não governamental que tem como base filosófica o Budismo de Nichiren Daishonin.

O campus fica a uns 25 minutos a pé do dormitório, mas quando estou com pressa consigo chegar em 15 minutos.É muito grande, e se divide em vários prédios. Existe a escola feminina, os prédios dos departamentos das engenharias, letras, direito entre outros. Há também uma biblioteca enorme, 2 restaurantes, 1 subway, uma loja que é uma espécie de supermercado, o auditório daqui é o segundo maior auditório universitário da Ásia.  O Prédio A reune vários cursos além do World Language Center, que é um local onde são ensinados dezenas de idiomas ( me inscrevi lá para tres empregos, 2 para ensinar ingles e um para portugues). Temos ainda campos de futebol, baseball, academia, ginásio enorme de esportes, um prédio principal de 18 andares… enfim, tem coisa demais, além de muita natureza, árvores (mais de 2 mil cerejeiras), lagos…

Na primeira semana fizemos um Placement Test para definir o nível de cada aluno. Os alunos foram divididos primeiramente em dois grupos: 1) Os que possuem level 2 no teste de proficiencia oficial japonês; 2) Os que não possuem esse nível (no meu caso considerei que estava acima do nivel 3 e abixo do 2. O teste teve tres partes, uma de audição, outra de gramática e outra de kanji. Acabei tirando uma nota alta e fui para a turma mais alta no segundo grupo, a E1 que é equivalente a turma Ex3 do outro grupo, de forma que agora estou estudando para o nível 1 de proficiência, que é o máximo. Talvez seja um objetivo um pouco exagerado, mas em um ano só usando japonês talvez eu consiga passar na prova em dezembro.

Os alunos da turma E1 tem menos aulas que os da E3 à E4, eles tem aulas das 9 da manhã até o 12:30 todo dia e dois dias a tarde, eu tenho 5 aulas espalhadas pelas manhãs e tardes, podendo escolher mais pelo menos 3 entre outras 5 opções. Eu escolhi 4 (ficando com a quarta feira completamente livre). Os alunos da E1 diferem da Ex3 apenas porque nós temos a opção de ir ou não a aulas de cursos universitários, enquanto eles são orbigados. Eu optei por durentae 6 meses estudar apenas japonês, mas como existem algumas matérias da universidade em ingles fiz o ITP test, onde consegui um score bastante alto, que me permite assitir aulas em ingles e dar aulas de ingles. Existe uma matéria muito interessante de Introdução ao Direito Japones, mas infelizmente meu horário não é compatível com ela, então entrei para o JAS Program, que é um programa do Departamento de Economia, e vou ter uma vez por semana aulas sobre o desenvolvimento da Economia Japonesa. Daqui a 6 meses pretendo frequentar as aulas regulares de Direito em Japonês.

Os restaurantes da universidade são muito bons e baratos, geralmente almoço no New Loire, pagando em média 300 yens para comer pratos enormes de katsudon, kare, ramen entre outros. Algumas vezes compro lanches rápidos na loja da universidade.

A Universidade dá todo apoio aos estudantes estrangeiros, existe um prédio de 5 andares apenas para os estudos de japones dos estrangeiros, e é onde fica o departamento de relações internacionais. Eles me ajudaram a abrir conta em banco, conseguir autorização para trabalhar, fizeram nosso plano de saúde municipal e nos levaram para fazer o registro de estrangeiro. Também foi lá que recebi minha primeira bolsa, em dinheiro já que a conta foi aberta depois, do presidente da Fundação Makiguchi, foi algo bastante formal, apenas 4 pessoas recebem essa bolsa, que é muito maior que dos outros alunos.

A cerimônia de abertura das aulas, que é uma das mais importantes do ano, foi realizada no auditório lotado (aproximadamente com 5 mil pessoas). O traje para cerimônia era terno e para entrar era preciso além do ingresso de um pin especial. Havia um sistema de segurança na entrada com detectores de metais e etc, tendo em vista que haveria um discurso do Daisaku Ikeda, presidente da Soka Gakkai. O lugar é enorme, possui uma tapeçaria imensa no palco, que é também muito grande. São três andares que estavam repletos de alunos e pais. Os estrangeiros receberam um aparelho para ouvir tradução simultanea dos discursos em 5 idiomas. Enfim, foi um evento bem longo (ficamos na universidade das 9 da manhã as 5 da tarde) mas bem interessante.

Por hoje é isso que tenho a contar, a Universidade tem muitas coisas das quais não falei, mas pretendo encerrar aqui os posts “turísticos” e começar a fazer posts temáticos, onde irei aos poucos completar as primeiras impressões que passei até agora.

Anúncios

9 Respostas para “Soka Daigaku

  1. Que bom que está se adaptando bem ao dia a dia da universidade e da cidade.
    Quando voltar, estará falando japonês melhor que os professores!
    Aproveite cada momento, fazendo amizades, passeando, participando em tudo que é atividade da faculdade e da comunidade!

    Abraços

    Satomi

  2. Yo!!!
    Nossa, sabe que eu nunca esqueci do hachiko tb. Um dia quero tirar minha propria foto na frente dele! Tah, nao consegui ver a foto que vc tirou por causa que nao tenho orkut.
    As sakuras sao lindas *_____*
    Falando em nouryokushiken, eu vou ter que tentar o 1kyu acho que ateh a metade do ano que vem….enfim. Qualquer coisa a gente estuda junto fazendo perguntas um pro outro. Eu passei meu colegio inteiro fazendo isso…acho que eh ateh algo meio nostalgico.
    Ateh daqui 4 meses niisan!

  3. Fala Eduardo! Parabéns pelo blog, venho acompanhando o conteúdo faz algum tempo… E uma dúvida que ficou é sobre os gastos no Japão e custos em estudar na Soka; como lidou com isso? Acho que merecia um post exclusivo, não? rsrs. Abraços.

    • Olha, eu mesmo estou bem perdido nos artigos que já escrevi no Blog, mas acho que fiz um que tem até a tabela de preço de coisas que se compra no dia-a-dia. Quanto à questão de custos e como lidei, deve ter algo também mas preciso rever o conteúdo antigo (preciso criar uma classificação mais eficiente na busca de artigos do site).

      De qualquer forma, eu fui bolsista da Fundação Makiguchi, então não tenho muito para falar dos custos, afinal, a fundação pagava todas as taxas da Universidade, moradia e 80 mil ienes por mês. Eu só gastava dinheiro com alimentação mesmo, e nisso era muito tranquilo, sobrava em torno de metade da bolsa todo mês.

      Abraços

  4. Muito bacana, Eduardo. No caso, você optou pelo programa de não-graduação da Soka? Ou somente o curso de língua japonesa? Vejo que, para garantir as bolsas de estudos, precisa estar engajado com algum curso de graduação/pós.

    • A bolsa foi decorrente do convênio UFPR/Soka, e cobria o curso de língua japonesa e quantas disciplinas você quiser cursar dentre os cursos regulares da Universidade.

  5. Oi eduardo, você mencionou que eles te ajudaram com a licença para trabalhar. É possível trabalhar com bolsa?

    • Olá Naomi,

      Sim, é possível trabalhar até 28h por semana, desde que você solicite essa autorização especial ao governo.

      Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s