Hoyu-Ryo

Hoyu-Ryo

Continuando o outro post, no trajeto de ônibus pegamos alguns congestionamentos, o que foi uitl para observar algumas ruas de Tokyo. A cidade é muito grande e bastante movimentada mas não tive a oportunidade de observar muita coisa (mas tirei uma foto da Disney).

Chegando em Hachioji outra funcionária da universidade (a Kodaki) estava nos esperando na estação para nos levar de carro até o Departamento Internacional da universidade. Lá fiz um telefonema para casa, foi a última vez que utilizei português haha

A cinco minutos de carro da universidade fica o Hoyu-Ryo, o alojamento em que moro, chegando aqui todos os moradores estavam na porta esperando, já que eu fui o primeiro ryuugakusei (estudante estrangeiro) a chegar.  Fizeram muita barulheira japonesa com banzais e um monte de gritos que até agora não entendi (também ganhei um chinelo pra usar no alojamento já que os tênis ficam na entrada).

A visão geral do alojamento é a seguinte. Existem 4 prédios, cada prédio tem 4 blocos, cada bloco tem 8 quartos para duas pessoas. Eu moro no prédio três ( chamamos de “san-tou”), no bloco C, quarto 5072, meu colega de quarto só chegou no domingo, ele é coreano e se chama Mingyu.

Cada bloco tem um banheiro coletivo, uma sala de TV, o dormitório tem um restaurante, salas de reuniões e uma sala de banho com cabines normais de banho mas possui também ofuro. Todos aqui são muito gentis, muito legais, estão sempre preocupados, sempre conversando, evidentemente em japonês o que me ajudou a treinar muito desde o primeiro dia, desde que cheguei o idioma não foi um problema, consigo me comunicar bem e eles sempre elogiam meu jeito de falar mas isso deve ser desconsiderado já que dizem isso para qualquer pessoa. No início ganhei algumas comidas (cup noodles, bananas, um doce bizarro, e alguns umai-bo, um doce de criança japonesa) e me convidaram para almoçar em outro bloco, onde fizeram spaghetti, um inicio nada japonês na culinária do dormitório.

Quanto ao meu quarto, é bem confortável, possui um móvel com gavetas e prateleiras, que também é um escrivaninha e tem tomadas para usar equipamentos eletronicos, cama aconchegante com os edredons mais grossos que já vi na minha vida (para ter uma idéia dos 3 que recebi só consigo usar um de noite e durmo em cima do resto, e chegou a nevar no segundo dia) além de um travesseiro cheio de pedras (se bem que agora me acostumei com aquele negócio), além de um armário. (fiz um vídeo do alojamento e quando tiver tempo vou colocar no youtube)

Existem cerca de 40 estrangeiros no dormitório (chineses, australianos, coreanos, cingapureanos (?), taiwaneses, um alemão, um tcheco, enfim, a maioria aqui é oriental) e uns 200 japoneses.  Já fiz vários amigos, alguns do mesmo bloco como o Yuuji e o Kosuke (fotógrafo do dormitório, inclusive) e alguns de fora. Em geral temos gostos muito parecidos, sempre tem alguém para jogar DS, assistir animes ou programas japoneses bizarros. Nesse ultimo quesito os estrangeiros são sempre boa companhia porque todos, sem exceção, morrerm de rir com qualquer coisa na TV (essas são as impressões dos dois primeiros dias, vamos ver se isso muda com o tempo), é tudo completamente bizarro, especialmente os comerciais. A pessoa com que mais ando por aqui é um australiano chamado Nathan (mas nenhum japonês consegue falar o nome dele). Antes que eu me esqueça, por aqui todos me chamam de “Edo”, já que Eduardo é muito difícil para eles, mas também me chamam de Ed ou Big Ed (pq eu sou o estudante que recebe mais dinheiro da universidade, imagino). O Nathan está sempre disposto a falar japonês, mas as vezes conversamos em inglês devido a dificuldade de expressar algumas idéias complexas. Os outros dois australianos só conversam em inglês, e depois que descobriram que eu também falava inglês só usam esse idioma comigo ( é interessante que eles acham que eu falo inglês muito bem, como é um idioma que nunca usei na vida para me comunicar, apenas para ler ou ver filmes é bom saber disso a partir de pessoas nativas do idioma).

No próximo post vou falar da minha primeira visita a Hachioji, e sobre situações engraçadas com o fato de compreender vários idiomas, o que me permite ouvir as pessoas falando de mim sem saber que eu entendo.

Anúncios

3 Respostas para “Hoyu-Ryo

  1. Eduuuuuuuuuuuuuuu!!!
    Nossa, o pessoal dai parece bem receptivo, quando vc olha a foto vc pensa: quanta gente!
    Espero que quando eu chegar eu consiga fazer tantos amigos assim rapido /o/
    Pelo que vc falou os futon dai parecem ser realmente macios e quentes, como diz a lenda hahahaha. Uma amiga da minha mae que morou ai falou do travesseiro, ela disse que quando eu for eh p/ levar o meu travesseiro daqui.
    Pelo visto vc tah usando bastante o ingles tb, quando vc voltar nao soh o seu japones vai estar bom, mas tambem seu ingles! isso me fez lembrar daquele capitulo: ” eigo dake de naku, nihongo….”
    Tudo de bom ai!!
    Bjus

  2. Haa! O que diz naquele cartazinho todo florido com uma cripta no meio ali à esquerda?

  3. Céus, que estranho o seu cabelo claro de gaijin ali no meio… /o/
    O pessoal parece bem animado e divertido, que bom!!
    Mas fiquei com medo do travesseiro de pedra. /o/ /o/ /o/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s